sexta-feira, 11 de agosto de 2017

CRONOLOGIA - ERA VARGAS ATÉ A DEMOCRACIA

       Os livros nacionalistas de história do Brasil nos rotulam de idiotas ou sou eu que não acredito mais naquilo que vem escrito como vem? 
      Sobre a época em questão "a era Vargas" alguns livros nos dizem que houve uma revolução enquanto outros dizem que foi um golpe militar, desencadeando em uma era de ditadura, precisamente a época do Estado Novo. Bem, este governo durou quinze anos sendo distribuídos assim: Governo provisório, Governo constitucional e Estado Novo. Antes disso vingava o governo da república Velha, o "café-com-leite", graças a aliança política entre São Paulo e Minas Gerais. Mesmo que não se use muito o termo "ditadura" para esse governo por parte dos partidos de esquerda - PCB - que aliaram-se na eleição de Getúlio ao lado de Luis Carlos Prestes, seu ícone nacional à época, é mister lembrar que o próprio Prestes foi preso por nove anos e sua esposa exilada na Alemanha e morta durante o governo getulista. Além de que a repressão do Estado Novo foi tão violenta quanto o processo golpista de 1964. Os militares no poder sempre ocultaram a verdade dos fatos, recentemente foi criada a Comissão da Verdade - instituição criada para investigar as atrocidades do governo contra os direitos humanos - o curioso é que não houve investigação na era Vargas.
       O nascimento de nossa "Democracia" ainda precisava esperar algum tempo. 1964 foi o ano do golpe militar. O comunismo era uma ameaça ao nacionalismo. Foram dias e noites aterrorizantes. Entretanto, pelo que a infância de minha mãe, à época com nove anos, nos conta, em seu interior chamado "Montanhas" é que pouco ou quase nada se percebia quanto aos assombros do universo político. Mas dois fatos chamam a atenção, ela me disse: "Ouvíamos dizer que os "comunistas" comiam o "Figo" (Fígado) das criancinhas e que eles iam destruir o país". Viveu naquela época uma senhora senhora por nome Izabel, que também diziam que sofria de uma doença que sua dieta incluía fígado de criancinha e que o desaparecimento de algumas crianças se dava por causa dessa senhora. Mas tudo não passava de "fofocas terroristas" que serviam para causar medo nas pessoas e transformar os militares em heróis. 
       Vinte anos depois nos deparamos com as eleições diretas, um marco democrático na história do Brasil e do Mundo. A democracia surgia envolta em muito sangue e choro e ao lado de pessoas assustadas e desconfiadas de sua existência. Ainda vemos que essa criança engatinha com dificuldade. Cada vez mais nos deparamos com obstáculos que nos remetem, pelo menos poucos desavisados, a um possível regresso ao governo militar. Pelo pouco que vi, até por causa da idade, pude presenciar apenas "ostentação" por parte dos Militares. E por parte da população, medo, somente. Espero que esta criança, que tanto lutou pela vida, que chegou ensanguentada, chorando, que ainda tem dificuldades para andar sozinha, que ela, não caia do berço, nem bata forte demais a cabeça.    

--------------------------------------------
Bibliografia:

  • http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/a-ditadura-de-vargas (16:13 - 05/08/2017)
  • http://www.sohistoria.com.br/ef2/eravargas/  (16:13 - 05/08/2017)


  • http://brasilescola.uol.com.br/politica/primordios-democracia-patria-tupiniquim.htm (16:13 - 11/08/2017)

Nenhum comentário: