sábado, 19 de agosto de 2017

VEM CÁ FICAR COMIGO

O ralo é escuro. É mentira, uma luz quase azul me deu a direção. Vamos caminhar esta manhã na beira da praia, chuva, saia, e ambos descalços...
A imensa cortina escura que cobria o sol se abriu e as brechas antes cintilantes invadiram meus neurônios com a força de uma explosão...
Agora eu me descuido um pouco e nem percebo se a terra conspira mesmo para uma catástrofe ou simplesmente isso ainda é a guerra fria...
Acordei de um sono em que um sonho se fez meu labuto em consequência de uma piada, piadas sempre denunciam quem é o humilhado...

BASEADO NUMA SEDA REAL

NORDESTE BRASILEIRO - 1969

          Quase meio dia. A torre de controle de voo no Aeroporto Augusto Severo identifica o voo 325VASP Rio-Natal, o sinal é claro, a altitude e a velocidade para a aproximação de pouso perfeitas, mas um comunicado urgente do Sistema Meteorológico identifica uma corrente de ar, um vento forte,  contrária, em direção da pista de pouso, o que imediatamente o controlador repassa essa informação ao co-piloto que a transmite para o piloto. 
          Uma turbina explode violentamente ao meu lado e eu sou arremessado contra a outra poltrona. Abro os olhos e vejo a cabine do piloto se separando do resto aonde eu estava. Estamos caindo de bico. A ventania é muito forte. Vou desmaiar...
           Adormeci na metade do voo. Havia bebido uma garrafa de Gin na noite anterior com a Susana, uma portuguesa que conheci no supermercado, ficamos embriagados ouvindo Cazuza e Bob dilan. Fumamos um baseado e depois transamos no sofá. Quando amanheceu ela ainda dormia no tapete branquinho de artesanato que ficava sempre reservado para ocasiões especiais. Deixei um recado e fui embora. Meu voo sairia em poucos minutos.  
          Mas agora sinto que deveria ter ficado com ela mais um pouco. Nem tempo de fumar um cigarro vou ter. E o que consigo lembrar de toda a minha vida de 48 anos é dessa trepada com uma portuguesa. Porra.
           Estou me aproximando do impacto, vejo o chão chegando, o horizonte se alinha com o resto dos destroços do avião. Não consigo ver mais ninguém... é o fim. Infelizmente não terei tempo de terminar meu livro. Não plantarei mais nenhuma árvore, nem tão pouco verei meu filho se formar, bem... resumindo... ei, espere um pouco... o que é aquilo...
            Uma bacia enorme com água se abria embaixo de mim e eu não estava entendendo mais nada, seria uma última lombra do baseado, uma aparição do Demônio, ou a volta do super star jesus? Fechei meus olhos... o impacto ia ser o mesmo, a morte também estava a me abraçar.
                 Soltei-me da cadeira. O corredor do avião estava limpo, sem sangue, sem objetos, ou pedaços do avião. Caminhei até o local aonde não havia a cabine. De fato, não havia a cabine. Um vento frio invadiu aquele pedaço do avião. Ouvi vozes. Pensei estar ficando louco, acho que morri e que essa voz deve ser algum anjo do inferno me chamando pra alguma festinha... mas a voz silenciou. Eu estava vivo. Vivo? 


  

ATOS DOS APÓSTOLOS CAPÍTULO 29 - o movimento contemporâneo do Espírito Santo

A MANIFESTAÇÃO DOS TÍTULOS

1. Por aqueles dias viu-se a multiplicação dos títulos como forma de alienar mais ainda os pensamentos.
2. O pensamento libertino foi consagrado ao altar dos caixas eletrônicos sem o véu da incorruptibilidade e os anjos, eufóricos, tocaram suas trombetas de ouro ao fim da tarde na companhia dos anciãos e dos jovens bebericando seu chá de flores.
3. A mensagem universal que eclodia da basílica do santo Pedro, tal como a fumaça branca, sorria aos pobres e trabalhava em prol dos ricos. Os ricos governavam o mundo e como sempre aos pobres era delegado o fardo de contribuir com as regalias, o luxo,  para o todo poderoso e sagrado ministério do sucessor do salvador.
4. A promessa do salvador, de voltar um dia, ainda não havia se cumprido. Muitos por essa época tramavam sua volta e anunciavam nas mídias comunicativas, mas logo eram desmascarados.
5. O louco Paulo - o Saulo, engenhoso articulador Romano - não deixou evidências de sua morte, supõe-se que morreu decapitado em uma ilha da Grécia, local que adorou mais que a sua própria vida.
6. Já não havia mais motivos para enganar o povo naqueles tempos, a internet desmascarou o engodo da falácia promessa de vida eterna e salvação, então algumas pessoas muito desconfiadas resolveram parar de ofertar, dizimar e voltaram-se para as academias.
7. Logo alguns países começaram a fechar seus templos. Prédios obsoletos.  Pessoas voltaram aos bancos escolares e suas vidas tiveram um salto considerável na qualidade.
8. O avanço das ciências naturais e a inclusão da ciência social - a sociologia - transformaram de uma vez por todas a maneira de pensar e de preparar o mundo.
9. Alguns templos ainda permaneciam, principalmente na América Latina, mas era uma questão de tempo para que a realidade contemporânea ofuscasse suas visões e vos abrissem os olhos definitivamente.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

DAS MASMORRAS ACADÊMICAS - PRIMEIRAS PROVAS

Praga, 19/08/1817

Madrugada de estudos... solidão tremenda.

       Querida e amada Anne Belle, os dias estão transformando-se em grilhões diante tanta saudade de ti, meu amor. Não recebi vossa resposta quanto à nossa semana de folga se vamos nos ver aqui ou se terei o prazer de viajar até os teus braços carinhosos e protetores. Mas não vamos nos deter aos pormenores do nosso duelo entre o desejo de estarmos juntos e a distância que nos separa, não, e nem vamos nos deter minha querida à explicações sem sentido causadas pelos trens de carga que transportam nossas aventuras e segredos escritos e declamados. Nossos pecados, minha querida, são só nossos. Ninguém pode opor-se ou questioná-los. 
           Quero que saibas de minhas primeiras provas relativas as disciplinas que pago neste semestre, isso tem mais importância, e é para isto que nutro tanta euforia em vos revelar todos os detalhes do antes, durante e após das avaliações. Primeiro que estudei todas as noites que cheguei, jantava, fumava um caretinha, e me martirizava madrugada a dentro. Exceto quando o sono - vilão - me vencia, aí eu me transformava no roncador de sonhos. (risos). 
          Algumas tardes fui ter com colegas na Biblioteca da escola para estudarmos ou discutirmos algum seminário, nome dado as apresentações (provas) em grupo, sempre ficávamos para as aulas. Bons momentos eu confesso que passamos. Afinal tudo era novidade. 
          A primeira prova quase que eu desmaio... foi de Antropologia e foi sem consulta, claro, e me saí muito bem, minha nota foi um sete e meio. Nada mal. Em filosofia tirei um oito e meio e fui bem elogiado pelo professor. Continua...   

AS TRANSFORMAÇÕES SOCIAIS - COMTE, MARX, WEBBER e DURKHEIM.

TEORIA SOCIOLÓGICA I - Um toque de clássicos - Como nasceu a sociologia


          As revoluções francesas e Britânicas são o grande divisor de águas na história da sociologia, na história das ciências sociais. Primeiro pelas transformações que causaram e ainda causam. Segundo por que remetem sempre aos homens, digo melhor, à humanidade, condições de investigações e análises capazes de nos auto-avaliarmos constantemente sempre que recorremos a estes fatos, estas ações de características sociais.
       A sociologia data do século 19 na Europa. Um processo que irrompeu com os pensamentos clássicos do século 16, o Racionalismo que atribuiu particular confiança a razão humana; o Empirismo afirmando que só a experiência preenche o espírito com ideias e finalmente o Iluminismo buscando entender a noção crítica a todos os campos do saber; gerando enorme crise nos âmbitos da vida material, cultural e moral. 
       As mudanças ocorridas no seio da sociedade, resultantes da Industrialização, não ocorreram de maneira súbita. O monstro Capitalismo avançou sobre a Europa Ocidental destruindo a vida material como as crenças, os princípios morais, religiosos, jurídicos e filosóficos. Causando o desaparecimento dos estamentos tradicionais: Aristocracia, campesinato e as instituições feudais.
       A segunda metade do Século 18 é o palco da Primeira Revolução Industrial  na França. Nasce o proletariado, avanços e maior participação política, urbanização que transforma a paisagem. A capitalização e a modernização da Agricultura provocaram o Êxodo de milhares de famílias - que agora vagavam procurando trabalho. As cidades cresciam desordenadamente. Surgiram as feiras livres e periódicas.
       A falsa proposta das cidades: Maior liberdade, proteção, ocupação, melhores ganhos... não abraçava a todos. No carregado ambiente urbano as mazelas sociais também vieram à tona. A aglomeração, as condições sanitárias, a fome, a falta de esgotos, a falta de água, o lixo acumulado, regras precárias de higiene, essas coisas gerando altas taxas de mortalidade na população em geral, mas na maior parte nos pobres, nas crianças e nas parturientes. O banho diário era coisa de nobres e ou libertinos (pensadores literatos europeus que se abstraiam dos princípios morais do seu período) 
       Ainda no século 18 temos a Revolução na Inglaterra de proporções industriais e agrícolas. (continua) 
          

TRABALHISMO - ERA VARGAS - Ângela Castro cap. IV

      O que se apresenta  a partir deste capítulo me parece ser o desenrolar das atitudes do governo de Getúlio Vargas em se consolidar como popular. Mesmo com a autoridade em cheque, o projeto de governo ganha popularidade entre as pessoas. Estratégias muito bem articuladas como por exemplo a doutrinação de uma população pelas mídias da época merecem realmente todo o destaque e profunda reflexão.

O TRABALHISMO - INVENÇÃO

Por Ângela castro - 1988

          A autora se refere aos protagonistas do campo social, o Estado e a Classe trabalhadora, abordando a manifestação pueril sobre a conquista dos direitos sociais. Falo pueril por considerar cedo o suficiente para a consciência de problema social que temos hoje.  O movimento Operário que se inicia da "Primeira República até a "República Velha" é o palco de desenvolvimento da autora que nos mostra que as reivindicações/questões sociais eram vistas como caso de polícia. É nesse período que nasce a "Sindicato cooperativista" de característica bem assistencialista. Aqui eu "linquo" a história do Brasil com uma história pessoal, quando por causa de uma perseguição trabalhista, meu pai foi incorporado ao sindicato da categoria, Motorista, para não perder todo o tempo de trabalho que já havia dedicado a então empresa ESSO, distribuidora de combustível. Foram dias difíceis. 
            Os operários recebiam o apoio dos grupos socialistas, sob influência Alemã e Francesa que manifestavam como direitos aos trabalhadores o de votar nas eleições. 
               O Brasil ganha uma Constituição.