sexta-feira, 30 de setembro de 2011

PARNAMIRIM TERÁ LIDERANÇA DE BAIRRO NA CÂMARA

Nome: Ubiratan Pinheiro da Costa, 40 anos. Natural de Natal, aposta em Maurício Marques como político influente, é pai de três filhos tem por time do coração: ABC F.C. Um jogador, um craque: Romário. Este é "TANTA" como é popularmente chamado pelos amigos e familiares. Sempre envolvido em projetos sociais envolvendo a garotada e a família. Chegou ao cargo de presidente da associação dos moradores de Liberdade e vem tendo um bom desempenho a frente da diretoria que é composta por amigos e familiares. Com sua liderança seu pequeno projeto: "VIDA SIM, DROGAS NÃO!" já atende a cinquenta crianças e jovens e ainda se inclui nesta lista suas famílias. Todo o projeto é voluntário e voltado para a área de desporto, nas atividades de futsal infantil, mirim, adulto e feminino juvenil. Além desse projeto, "TANTA" desenvolve em outras comunidades, através de parceiros, torneios de futebol de campo, e também de futsal. Liberdade tem um legitimo representante a sua altura. Apoiando o prefeito Maurício Marques na sua caminhada rumo a mais quatro anos de gestão "TANTA" sempre almejou uma cadeira na câmara. Na campanha para vereador passada seu insucesso foi o motivador de retomar a luta, desta vez, para ganhar. Envolvendo amigos e familiares sua campanha tem tudo para decolar. O boca a boca é o meio mais barato e certo de pesquisar um candidato, seus feitos e sua honra não se discute. Esperamos uma renovação na câmara com estilo diferenciado e apostamos na competência desses que se intitulam a opção de voto para o eleitor de Parnamirim. Esperamos e torcemos que tudo vá bem.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

ARTICULAÇÃO POLÍTICA RENOVA QUADRO DA PREFEITURA DE PARNAMIRIM

O que dizer dessa jogada de mestre? Mas de qual dos lados? Raimundo aliado de Maurício? A política é mesmo uma caixinha de surpresas. Definitivamente a tendencia da política para os próximos anos é de unidade. Na situação e pronto para encarar uma campanha que lhe proporcionará a continuidade de seus planos e projetos para Parnamirim a mais recente incorporação aos anseios políticos do prefeito Maurício Marques é nada mais nada menos que seu Raimundo, como é bem conhecido de todos os parnamirinenses o ex-prefeito Raimundo Marciano que optou pela continuidade e avanço do progresso de Parnamirim ao contar com a loucura insana de seu ex aliado o então e ainda deputado Gilson Moura. Todos os parnamirinenses aprovaram e creditam esse apoio ao dom de articulação do prefeito Maurício Marques. Uma liderança de força e poder. Parnamirim só tem a ganhar.

O RN CONTINUA DE FORA!!! dinheiro não vem.

Os nordestinos do Rio Grande do Norte estão realmente desprovidos de lideranças políticas capazes de reconhecer a dificuldade que se enfrenta nas épocas de muita chuva e das enchentes, parece que como no passado a seca apenas era sinal de castigo de Deus, agora Deus quer se desculpar e investe em chuvas fortes para desabrigar as pessoas e matar animais indefesos. Vamos falar sério, parece que estamos vivendo outro período de colonialismo português onde somente os "nobres" tinham direito a voto e voz. Eu afirmo que cada potiguar é capaz de administrar essa região, pelo tanto de sofrimento que já passou, ele vive o tempo todinho com a esperança numa mão e a caneta na outra fazendo calculo para a seca não matar a plantação e nem a chuva invadir sua região. O que falta a esses políticos coronéis que já manobram e manipulam todo o nosso estado? Têm toda a sua família infiltrada nas redes complexas da política, servem-se da miséria e da exploração da força de trabalho para crescer e pagar a faculdade de seus filhos...

Esquecem que a vida é feita de altos e baixos. Enquanto a alegria e a felicidade são vistas em uma criança que salta na água de chuva, a verdadeira intenção da ajuda vem camuflada de votos. O voto é uma arma que não devia ser vendida... E se fosse vendida deveria ser muito cara. Algo superior a minha renda em quatro anos de trabalho, meus filhos quatro anos na escola, a minha segurança durante quatro anos, meu plano de saúde por quatro anos. Talvez assim, meu voto tivesse mais consciência na hora de me dirigir as urnas. Tudo o que pedimos é seriedade em seus compromissos com a população, agora imagine você que me lê que o nosso quadro político não teve forças para trazer a refinaria de petróleo para o RN, por muito pouco não perdeu a copa do mundo, agora recente perdemos alguns bilhões para prevenção de enchentes. Imagine que se as dunas inundarem, um dia, camelo vai morrer afogado!!!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

AS FERAS ESTÃO SE MOVIMENTANDO!

Nos bastidores da política de Parnamirim para concorrer à prefeitura em 2012 a "boca miúda" rola muita coisa que até Deus desconfia, a boataria está forte, todos falam muito e quase nada se vê. O que é certo é que as feras que pretendem alçar vôos mais audaciosos já estão em plena campanha. As articulações de Maurício Marques apontam uma nova direção na campanha do próximo ano, arrojado, mais experiente, com uma popularidade crescente, ele caminha tranquilo para uma jornada de vitória. Agnelo Alves virou o ano e a página em Parnamirim, passou o seu tempo meu velho amigo, todos o têm como grande liderança política mesmo que suas "pernas" estejam de outra forma atadas. Atadas aos comentários sórdidos de seus supostos aliados. A quem diga que Parnamirim deva ser governado por gente de Parnamirim. O Deputado Gilson Moura perambula pelas ruas de Parnamirim como quem sobrevoa uma carniça... Ele esquece que a população de Parnamirim está calejada de aproveitadores e suas falsas promessas. Os candidatos de esquerda e de outras frentes coadunam esperanças em um horizonte utópico que poderia muito bem ser o vislumbrar de uma chapa quente em nossa cidade mas, ainda não se afinaram e carregam apenas a experiência do discurso. Apostar em uma prata da casa que já consolida sua gestão com obras que já transformam e outras que transformarão nossa cidade e manterão o nível de qualidade no atendimento do serviço público satisfatório é a alternativa saudável do povo de Parnamirim para a estreita porta que se visualiza em 2012. Aos combatentes sorte.

domingo, 25 de setembro de 2011

MINHA CASA 2 - a saga continua

Parnamirim vai aderir ao Minha Casa 2

Quinta-feira, 22 de Setembro de 2011, às 11h 20

O prefeito Maurício Marques assina na próxima segunda-feira, 26, às 10 horas, no Centro Administrativo, o termo de adesão do Programa Minha Casa Minha Vida 2. Na primeira etapa foram 3.728 unidades, distribuídas em oito empreendimentos. No período de 26/09 a 07/10 a Secretaria de Habitação também iniciará a montagem de dossiês das famílias sorteadas para os empreendimentos Vida Nova e Pacífico.

Ana Michele Cabral, secretária de Habitação, explica que o termo de adesão ao Minha Casa Minha Vida II demonstra mais uma vez o compromisso do prefeito Maurício Marques com a população de Parnamirim. “A partir da assinatura será possível articular junto à Caixa e às construtoras novos empreendimentos no município”, disse.

Atualmente a Secretaria de Habitação conta com um cadastro de interesse de quase 5 mil pessoas que se inscreveram para novos possíveis empreendimentos. No mês de julho foram sorteados os beneficiados para o Vida Nova com 464 unidades e o Ilhas do Pacífico com 432 unidades. E a partir de segunda-feira essas famílias terão que comparecer à rua Cabo Serafim Nunes Neto, 193, no bairro de Santos Reis para entrevistas.

Todos os beneficiados devem comparecer à sede da Secretaria, de segunda à sexta, das 8 às 16 horas, munidos de documentos pessoais como cédula de identidade, cadastro de pessoa física (CPF), atestado de residência e certidão de casamento ou nascimento.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: 3645-5166.


Artesãos de Parnamirim estarão na Festa do Boi

Artesãos de Parnamirim estarão na Festa do Boi

Quarta-feira, 21 de Setembro de 2011, às 10h 30

Cinquenta artesãos de Parnamirim e cinco grupos entre cooperativas, clube de mães e associações vão participar de mais uma edição da Festa do Boi, a ser realizada de 8 a 16 de outubro, no Parque de Exposições Aristófanes Fernandes.


A Secretaria Municipal de Assistência Social foi a responsável pela seleção dos artesãos e a Prefeitura vai se encarregar de oferecer toda a estrutura necessária para a exposição de peças dos artesãos. Serão cerca de 15 estandes, número maior que o apresentado no ano passado. Estarão expostos produtos feitos de fuxico, pintura em tecido, macramê, biscuit, bordado e trabalhos indianos.


GREGO LUTA NA CONSTRUÇÃO DO FUTURO!




O Povo da Grécia luta pela construção do futuro

ImprimirPDF
imagemCrédito: ODiario.info

Miguel Urbano Rodrigues

Os governos do capital de Washington a Berlim, alarmados com a crise pantanosa em que estão atolados, apresentam da Grécia a imagem de uma sucursal do inferno. Mas pelo mundo afora milhões de oprimidos acompanham com admiração e respeito o combate dos trabalhadores revolucionários do país que foi berço de uma civilização que marcou indelevelmente o rumo da humanidade.

O agravamento da crise nos países do Sul da zona euro intensificou o debate ideológico na Europa.

Os governantes, os banqueiros, os dirigentes das transnacionais e os media ditos de referência repetem monocordicamente que não há alternativa para o capitalismo. Mas é indisfarçável o seu mal-estar perante o avolumar da contestação ao sistema.

Os responsáveis pela recessão e pelo desemprego de dezenas de milhões de trabalhadores constatam que as guerras de agressão imperiais e o saque dos recursos naturais dos povos do Terceiro Mundo não trazem solução à crise estrutural do capitalismo.

Enquanto prosseguem politicas impostas pelo capital que descarregam o custo da crise sobre as suas vítimas, desenvolvem um grande esforço para evitar que os protestos contra o sistema de opressão atinjam um nível que ameace a sua continuidade. Nesse contexto, as campanhas para promover a alienação das massas são especialmente perversas. O objectivo é impedir que os trabalhadores tomem consciência do funcionamento da engrenagem da falsa democracia representativa (que na realidade é uma ditadura de classe) e se mobilizem para um combate permanente e frontal contra o sistema.

A tese bolorenta segundo a qual através de lentas reformas aprovadas pelos Parlamentos o capitalismo pode evoluir, humanizando-se, é retomada em toda a Europa pelas classes dominantes. Os governantes repetem que a via eleitoral, a única democrática, aponta o rumo certo para que as reivindicações dos oprimidos se concretizem numa atmosfera de paz social. Tudo se resolveria afinal num diálogo sereno entre o capital e o trabalho, entre os chamados parceiros sociais e o patronato.

Um discurso complementar desse é o dos intelectuais que, afirmando ser anti-imperialistas e anti-neoliberais, proclamam que a saída da crise depende da acção dos movimentos sociais. Mas excluem todas as formas de violência na luta que deveria visar reformas graduais.

A criminalização do socialismo e dos partidos operários marxistas-leninistas é uma constante na teorização desses senhores. Nessas campanhas desempenham um papel fundamental os social-democratas.

Não é de estranhar que as forças da direita e os partidos social-democratas tenham recebido com mal disfarçada simpatia a formação do chamado Partido da Esquerda Europeia ao qual aderiram muitos partidos comunistas do velho Continente (o grego e o português foram excepções). Tão benévola atitude é compreensível porque essas organizações se opõem à radicalização da luta de massas, defendendo elas também estratégias reformistas que na prática anestesiam a combatividade dos trabalhadores, neutralizando-os como força de choque.

LIÇÕES DA HISTÓRIA

A comunicação apresentada no Rio pelo representante do Partido Comunista da Grécia, no Seminário promovido pelo Partido Comunista Brasileiro para comemorar o 140º aniversário da Comuna de Paris (v.odiario.info, 18.09.11), é um documento importante que contribui para a clarificação do debate ideológico inseparável de grandes lutas contemporâneas.

É oportuno lembrar que a burguesia francesa não hesitou em se aliar em l871 ao exército prussiano após a derrota da França, para massacrar na Paris revolucionaria os comunards comunistas.

Essa aliança contra natura, rica em ensinamentos para quantos lutam hoje contra o capitalismo, confirmou então uma realidade enunciada por Marx: o capital não tem pátria.

O comunista grego alertou para uma evidência: o Estado burguês não pode ser utilizado contra os interesses da classe dominante. Por outras palavras, as instituições criadas pela burguesia para lhe servir os objectivos não podem funcionar como trampolim para o socialismo.

Na América Latina, em regimes presidencialistas tem sido possível eleger presidentes com programas anti-neoliberais com pendores socializantes. Mas o resultado desses processos não permite optimismo. No Chile «a via pacifica para o socialismo» terminou num golpe sanguinário. No Brasil, na Argentina e no Uruguai, Lula, os Kirchner e Tabaré Vasquez arquivaram compromissos assumidos com o povo e levaram adiante políticas que favoreceram o grande capital, aprovadas pelo imperialismo. E na Venezuela, na Bolívia e no Equador, o desfecho das corajosas opções de Hugo Chavez, Evo Morales e Rafael Correa suscita interrogações sem resposta.

Na União Europeia é ilusória a ideia de que possa instalar-se no poder qualquer governo empenhado em aplicar um programa de esquerda ambicioso. A «democracia parlamentar» é, na prática, uma ditadura da burguesia de fachada democrática.

UM LUAR DE ESPERANÇA

O Partido Comunista da Grécia presta um serviço aos trabalhadores de todo o mundo ao sublinhar que o Estado burguês tem de ser totalmente destruído. Reformas cosméticas não alteram a sua essência de instrumento de opressão dos explorados.

As lutas dos trabalhadores por reivindicações em múltiplas frentes são não apenas necessárias como indispensáveis. Vitórias sectoriais abalam o poder da burguesia e fortalecem a combatividade das massas, mas essas vitórias são ineficazes se não se inserirem numa estratégia de ruptura com o sistema. No âmbito de uma ruptura com a política de um governo, mas dentro do sistema, são por este neutralizadas.

O mesmo se pode dizer da acção dos Movimentos Sociais. O papel desempenhado por muitos deles foi útil, contribuiu para o desmascaramento e desprestígio do neoliberalismo. Mas o imperialismo logo se apercebeu de que o carácter espontandeista da contestação ao sistema não configurava uma ameaça real. Algumas ONGs são instrumentos da CIA; uma percentagem ponderável é dirigida por social-democratas anti-comunistas.A evolução do próprio Fórum Social Mundial -alias rapidamente infiltrado por políticos a serviço do capital (até Mário Soares!) - demonstrou precisamente isso. Em breve, controlado por social-democratas, passou a defender a impossível humanização do capitalismo.

A mensagem transmitida ao mundo pelo Partido Comunista da Grécia no Rio de Janeiro vale por um convite à reflexão sobre o papel decisivo e insubstituível do partido revolucionário marxista-leninista nas grandes lutas sociais do nosso tempo.

O seu representante nos lembrou que na Grécia houve mais de 20 greves gerais desde 2010 e muitas sectoriais. A mobilização maciça dos trabalhadores foi possível devido ao elevado nível da consciência de classe e de consciência política de uma parcela importantíssima do povo grego. Uma frente muito ampla de organizações e forças progressistas - o PAME – uniu partidos, sindicatos, federações e comités de orientação classista em torno de objectivos consensuais.

A luta permanente das massas travada em condições dificílimas sob uma repressão violenta não visou uma ruptura imediata orientada para a tomada do poder a curto prazo.

O Partido Comunista- o KKE – sabe que tal meta é inatingível na actual conjuntura. A reafirmação da exigência da destruição do Estado burguês não significa que esse objectivo tenha data no calendário.

Numa atmosfera de tensão diária, de denúncia da política de vassalagem perante as imposições da União Europeia e do imperialismo estadounidense, o KKE, sem medo das palavras, defende há anos um programa revolucionário. Sustenta com firmeza que a socialização dos meios de produção básicos é na Grécia uma exigência da Historia, assim como a da banca e a das telecomunicações e transportes. Exige a gratuidade total da saúde, da educação e da previdência. E, agora, defende a saída da União Europeia, da NATO e do euro.

Reivindicações essas inaceitáveis para o Estado burguês. Mas justas, traduzindo aspirações profundas de um povo que não esquece a repressão selvagem do exercito britânico, em 1945,quando, no final da guerra, expulsos o nazis alemães, os trabalhadores estavam prestes a conquistar o poder para construir uma sociedade progressista e livre.

Foi essa tenacidade e lucidez na luta do KKE que viabilizou o surgimento do PAME, como organização frentista de perfil revolucionário.

Enquanto de Washington a Berlim os governos do capital, alarmados com a crise pantanosa em que estão atolados, apresentam da Grécia a imagem de uma sucursal do inferno, mundo afora milhões de oprimidos acompanham com admiração e respeito o combate dos trabalhadores revolucionários do pais que foi berço de uma civilização que marcou indelevelmente o rumo da humanidade.

A arrogância e o poder do imperialismo desencorajam hoje, é um facto, milhões de pessoas. Mas a maioria das grandes revoluções antigas e contemporâneas irrompeu contra a lógica aparente da História. Os povos, quando destruíram uma ordem social que para eles se havia tornado não somente ilegítima como insuportável, nem sempre pensaram no futuro imediato.

Acumulada, a opressão, ao ultrapassar determinado limite, gera nas vítimas uma quase indiferença perante a morte. E chega um momento em que o desespero, ao generalizar-se, em efeito epidémico, disponibiliza as massas para lutas que conduzem a rupturas revolucionárias. Isso aconteceu com o Revolução Francesa de 1789,com as Revoluções Russas de Fevereiro e Outubro de 1917, e na segunda metade do século passado no Vietnam, em Cuba, na Argélia.

Em Portugal era imprevisível que o golpe militar do 25 de Abril fosse o prólogo de uma revolução que iria abalar o Mundo, a mais profunda na Europa Ocidental pelas suas conquistas desde a Comuna de Paris.

Manter a esperança firme não é uma atitude romântica; é um dever comunista. O representante do KKE admitiu no Brasil que «o século XXI será marcado por uma nova onda de revoluções socialistas.»

Faço minha a sua convicção.

Vila Nova de Gaia, 20 de Setembro de 2011

http://www.odiario.info/?p=2214


FONTE:

http://pcb.org.br

ESQUERDA EM CRISE - EUROPA


23/09/2011 - 17h51

Esquerda europeia enfrenta crise

PUBLICIDADE

NEWTON CARLOS
ESPECIAL PARA A FOLHA

As atenções se voltam para a Suécia com a social-democracia de novo no poder na Dinamarca. As dificuldades do centro-direitismo alemão, às voltas com lenta recuperação econômica e complicações na zona do euro, ainda não alteram de modo significativo o quadro de baixas das esquerdas na Europa. O que acontece na Dinamarca pode começar a alterá-lo, em meio a fortes constrangimentos. Em 2010 o partido Social-Democrata da Suécia, ao lado, perdeu duas eleições consecutivas, depois de governar durante 65 dos últimos 78 anos.

Os votos conseguidos ficaram abaixo dos de 2006, o pior resultado desde 1920. Dinamarca e Suécia são exemplos em matéria de estados de bem-estar social, que reduziram a quase nada a pobreza na Europa, sem sacrifício das instituições democráticas. Um jornal sueco, o "Expressen", disse que com a derrota da social-democracia "caiu o estandarte da tolerância" e a democracia na Suécia ficou "refém de forças obscuras", beneficiárias do fantasma da xenofobia. Na Suécia 14% da população nasceu fora do país e outros 6% tem pais estrangeiros.

Analistas falam, no entanto, que o fator dominante na baixa das esquerdas na Europa é a incapacidade dos políticos europeus em lidar com uma nova classe média, menos disposta a sustentar os "mais do que generosos" estados de bem-estar social. Não se trata de algo acontecido da noite para o dia. O "declínio do admirado modelo sueco", de uma das sociedades mais civilizadas, liberais e inovadoras do mundo, aconteceu ao largo da última década.

A social-democracia foi golpeada tanto na Suécia como na Alemanha, França e Holanda. No momento, na União Europeia, só a Espanha, Grécia, Eslovênia e Chipre, e agora de novo a Dinamarca, têm partidos de esquerda no poder, solitários ou em coligações com parceiros, 27 ao todo. Há 10 anos, dos 15 países que na época compunham a União Europeia, 11 tinham governos social-democratas. O "declínio" continua vigente, em meio a expectativas pelo que possa acontecer na Suécia.

O centro-direita acaba de ganhar em Portugal e o centro-esquerda está em perigo na Espanha e Grécia. O caso alemão ainda se encontra longe de consolidar-se como um ponto de meia-volta. O centro-direita continua no poder na Alemanha e ainda falta ser testada a afirmação do PSD da Suécia de que irá na onda do PSD da Dinamarca, querendo até instituir o "Dia do Muçulmano" como indicação de que tampouco tem medo do "fantasma da xenofobia".


fonte:

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/980069-esquerda-europeia-enfrenta-crise.shtml


PREVENÇÃO CONTRA CÂNCER EM ALTA

Daniel Castellano/ Gazeta do Povo / O oncologista Murilo de Almeida Luz acompanhou cirurgias de câncer com o auxílio de robôs no Canadá. Voltou a Curitiba para ajudar na implantação do equipamento no Hospital Erasto Gaertner

O oncologista Murilo de Almeida Luiz.


SAÚDE

Mudança de hábitos previne diferentes tipos de câncer

Avanços da ciência ajudam a decodificar a doença, que pode ser desencadeada por fatores genéticos e por costumes rotineiros

Publicado em 25/09/2011 | PAOLA CARRIEL

Dicas

Conheça alguns hábitos que devem ser adotados para prevenir o câncer:

- Mantenha o peso e o Índice de Massa Corporal dentro da média. Isso ajuda a prevenir câncer de esôfago, cólon e pâncreas, além de evitar outras doenças, como diabete e problemas cardíacos.

- Faça atividade física por pelo menos 30 minutos diariamente, o que mostra-se eficiente na prevenção de câncer de intestino, mama e endométrio. O exercício ajuda a fortalecer o sistema imunológico.

- Evite fast food e bebidas açucaradas. Prefira refeições mais leves. Alimentos de alto teor calórico contêm mais gordura e açúcar, o que auxilia no ganho de peso.

- Diminua o consumo de carne vermelha e carne processada. A indicação é comer menos de 500g por semana de carne vermelha, associada ao desenvolvimento de câncer de intestino.

- Reduza bebidas alcoólicas. Para quem tem o hábito, homens não de­­vem tomar mais de duas doses por dia e mulheres apenas uma. Há rela­ção do álcool com câncer de boca, faringite, laringite, esôfago e mama.

- Não fume. Até um terço dos cânceres pode estar relacionado com o tabagismo. O tabaco é responsável por cerca de 90% dos cânceres de pulmão.

- Limite o consumo de sal. O sódio pode ser uma das causas prováveis do câncer de estômago.

- Faça check-up anual. Quanto mais cedo é detectado o câncer, maiores as chances de cura. Estima-se que a sobrevida chegue a 90% quando a doença é descoberta no início. Exames de rotina podem ser o primeiro indicador.

Fontes: World Cancer Research Fund (WCRF), Antônio Macedo, Luiz Antônio Negrão Dias e Murilo de Almeida Luz.

Depoimento

“O mais difícil foi contar para a família”

Descobri que tinha câncer de mama em setembro de 2000. No final de um dia de trabalho, fui tomar banho e percebi que minha roupa estava manchada de sangue. Segundo o médico, tive sorte porque é muito incomum a mama sangrar. No dia seguinte, marquei uma consulta e depois a mamografia.

Nessa época eu já trabalhava como voluntária junto a uma equi­pe que apoiava pacientes com cân­­cer, mas, como ia ao médico anualmente, não dava atenção para o autoexame. Na clínica onde eu era voluntária, um dos médicos pediu para acompanhar o caso e, após uma biópsia, descobrimos que o câncer estava em um estágio avançado. Fiz cirurgia para retirar a mama e recebi o “kit” completo: fiz quimioterapia e radioterapia, além de sequelas, como perda dos cabelos.

O diagnóstico foi difícil. O mundo desaba e não sabemos que caminho tomar. O mais difícil foi contar para a família, porque a doença ainda é um tabu.

A maior mudança depois do câncer foi a minha percepção da vida. Como a doença era sinônimo de morte, comecei a enxergar a vida diferente. Passei a dar mais atenção a mim mesma, me cuidar e me ouvir mais. Vi que não precisava trabalhar 16 horas por dia, poderia viver com mais vontade e alegria.

Maria Cecília Palma, advogada.

A aceleração das pesquisas sobre o funcionamento do câncer nos últimos 15 anos permitiu que a ciência avançasse na compreensão de como é possível prevenir a doença. Cerca de 20% dos casos podem ser evitados com medidas simples, como a mudança de hábitos alimentares, segundo uma pesquisa da organização não governamental World Cancer Research Fund (WCRF). Os outros 80% estão relacionados à interação e comportamento dos genes e a fatores ainda não estudados.

É consenso que mudanças de hábito são capazes de diminuir o número de ocorrências e há linhas de estudo que trabalham com o desenvolvimento de vacinas e sequenciamento genético, que podem ser capazes de evitar o aparecimento de células cancerígenas.

Pesquisas científicas mostram que existe relação entre alguns cânceres e hábitos, os mais citados são o fumo e a obesidade. O tabagismo, por exemplo, está ligado ao aparecimento de um terço dos tumores. Segundo a WCRF, todos os anos 2,8 milhões de novos casos estão ligados à falta de atividade física, dieta incorreta e sobrepeso. E o número deve aumentar consideravelmente na próxima década.

Apesar disso, se houver mudanças no comportamento, aliadas às descobertas científicas, o câncer poderá deixar de ser, no futuro, uma doença com significativo grau de mortalidade. É provável que muitos sejam evitáveis e que nos demais haja ampla sobrevida aos pacientes.

“O câncer é uma doença da vida moderna. O ser humano se tornou sedentário, ficou estressado, vive por mais anos e passou a ter uma dieta rica em carboidratos e comida processada”, diz o médico do Hospital Albert Einstein, Antônio Macedo, especialista em cirurgia oncológica gástrica. Ele conta que há dez anos a taxa de câncer de esôfago era de 4 a cada 100 mil, valor que hoje chega a 24.

Com ajuda da ciência, se descobriu que a atividade física pode auxiliar a diminuir a ocorrência de câncer de intestino e que carnes vermelhas e processadas podem, ao contrário, aumentar o risco. Também há comprovações de que gordura corporal amplia o número de tumores de esôfago, pâncreas, mama, rim e endométrio.

Futuro

Hoje o câncer é a doença mais estudada no mundo e produz o maior número de artigos científicos em revistas especializadas. O tempo entre as descobertas científicas e suas aplicações na população em geral diminui cada vez mais.

Um exemplo claro de como isso ocorre é a prevenção do HPV. O médico Júlio César Teixeira, da Unicamp, coordena um estudo sobre vacinas contra o HPV. Ele afirma que o vírus está relacionado 100% ao câncer do colo do útero, 90% ao do canal anal e 40% aos tumores de pênis, vulva e vagina, além de relação com tumores de mama e leucemia.

Em 2008, um grupo de cientistas de vários países criou o Con­sórcio Internacional do Genoma do Câncer para auxiliar no sequenciamento genético de mais de 50 tipos de cânceres. O objetivo é comparar o DNA das cé­­lulas doentes e sadias de uma mesma pessoa para verificar o que de­­sencadeou o tumor. Ano passado, eles anunciaram na revista Na­­ture que o objetivo é ter 25 mil ge­­nomas diferentes até 2018. Na in­­ternet, o grupo tem um portal com acesso livre a dados de 2, 8 mil tumores.

Além do fator genético, questões ambientais (estresse, condições de vida, alimentação, etc.) podem ser o grande definidor no aparecimento ou não do câncer. Balancear todos estes fatores para fazer um diagnóstico correto é o grande desafio para o futuro.







CANÇÃO NOVA DE PARABÉNS

23/09/2011 - 12h01
Senado comemora 33 anos da Comunidade Canção Nova
[Católicos participam de evento na Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP) - Foto: Canção Nova]

O Senado vai comemorar, na próxima terça-feira (27), no período do expediente, os 33 anos de fundação da Comunidade Canção Nova. Requerimento com a proposta de homenagem foi apresentado pelo senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE).

Criada em 1978 pelo monsenhor Jonas Abib, a Comunidade Católica Canção Nova tem sede na cidade de Cachoeira Paulista (SP). Atualmente tem mais de mil membros, entre os quais sacerdotes e leigos celibatários e casados, que vivem e trabalham na comunidade.

A Canção Nova começou em 2 de fevereiro de 1978, com um grupo de 12 jovens da cidade de Queluz (SP), liderados pelo padre Jonas Abib, que tinha, então, 42 anos. No ano seguinte, eles começaram a construção de quatro casas num sítio em Cachoeira Paulista. O reconhecimento pontifício, na condição de associação internacional de fiéis, foi alcançado em 2008.

Um dos principais campos de atuação da Canção Nova é a comunicação social. O principal veículo é a TV Canção Nova, fundada em 1989, a qual tem hoje cinco geradoras e quase 500 retransmissoras. Além dela, há a Rádio Canção Nova, fundada em 1980 e que, desde 1995, conta com uma rede de 28 emissoras. O grupo conta ainda com website, aplicativos para dispositivos móveis e editora própria.

Comunidades Novas

[Foto: Senado vai comemorar, na próxima terça-feira (27), no período do expediente, os 33 anos de fundação da Comunidade Canção Nova.]

No universo de possibilidades de participação dos leigos católicos na vida da Igreja, a Canção Nova é o que se chama de "comunidade nova". Como ela, há várias outras pelo país, como a Shalom, em Fortaleza; a Nova Aliança, em Anápolis (GO). As comunidades novas são caracterizadas pelo fato de seus membros viverem de forma comunitária, exercendo suas atividades profissionais no local em que estão sediados e procurando seguir a doutrina religiosa da Igreja Católica.

Muitas novas comunidades também têm "casas de missão" em outras cidades do país e mesmo em outros países. A Canção Nova tem casas espalhadas pelo Brasil, além de missões em Portugal, Itália, Israel, Estados Unidos, França e em outros países da Ásia.

Raíssa Abreu e Moisés Nazário / Agência Senado


(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)