terça-feira, 11 de abril de 2017

ROTA DA CHUVA

Um dia de chuva no sertão do nordeste é como um dia de chuva no sertão do nordeste. Me digam vocês que postam lindas imagens da chuva caindo, cantam a poesia do velho Raul Seixas, me digam vocês como é sentir a chuva caindo, molhando o corpo, esfriando o clima, se aninhando na cama embaixo do lençol, me digam vocês que gostam de pensar em deus quando a chuva começa a molhar, me digam como é morar na cidade grande e acordar com a chuva tão linda e abençoada  invadindo sua casa, abrindo crateras no meio da rua, inundando as ruas, destruindo os telhados, me digam aonde estão vocês que se enganam com esta catástrofe?  Se fosse para depender da misericórdia de seres divinos para melhorar a vida das pessoas e dos animais que morrem a míngua com sede, nós estaríamos realmente fodidos. Mas não se engane também com essa outra falácia, de certo que somos realmente culpados por toda essa tragédia. A falta de vontade política e a lepra da corrupção aliada a ganância do ser humano descontrolam todos os ciclos de evolução da indefesa humanidade. A chuva não é benção, não é uma vontade de deus, nem é se quer uma coisa natural. A chuva é uma tempestade formada pelos gases no ar e pode destruir qualquer coisa.  Quando reivindicamos medidas definitivas que reparem este flagelo secular entre os povos e animais do sertão do nordeste com relação a seca é porque existe a possibilidade de consertar essa situação e acabar de uma vez por todas com esse sofrimento. A seca é o resultado direto da ação irresponsável do homem.  Do homem que tem o poder financeiro para resolver o problema e não resolve.




domingo, 9 de abril de 2017

SEMANA SANTA - FERIADO SANTO

A boa maioria dos trabalhadores brasileiros, pelo menos os que ainda restam de carteira assinada, devem folgar pelo menos um dia nesta semana. Outros trabalhadores que estão vinculados a outras formas e horário de trabalho, tipo por escalas em empresas privadas, ou servidores públicos da saúde, seguranças, estes passarão esse feriadinho santo provavelmente trabalhando. Mas o que fazer, não é mesmo?


Vamos aproveitar um dia santo para folgar. Mas como devemos realmente aproveitar este dia sem trabalho? Eu, se estivesse bebendo, provavelmente tomaria uma boa garrafa de Rum Montilla com coca-cola, gelo e limão. Mas esse não é o caso. O que eu quero conversar com você parece ser trivial, mas não menos importante. Vejamos, questiono primeiro a importância desta data, para os religiosos e para os não religiosos. Para os religiosos o apelativo surpreende pela criatividade de seus pares. Mesmo que para alguns  outros expectadores religiosos, digo, de outra corrente religiosa, esta data sagrada seja apenas mais uma estratégia de marketing.  A combinação parece perfeita, dia sagrado ou semana sagrada e um feriado nacional. Então temos todos os motivos para uma reunião em família, temos motivo para refletir espiritualmente, temos motivo para fazer caridades, e temos motivo para nos aproximar um pouco mais da vida religiosa, sim, temos todos estes motivos. Entretanto para os não religiosos, pessoas comuns que não confessam nenhuma religião, o dia ou a semana sagrada serve mesmo para quê? Em todo caso se aproveita a ocasião para uma reunião em família, entre amigos, uma viagem, um momento de lazer, de reflexão também, sim e por que não, sobre a vida, o foco nos estudos, etc. Se nos comportamos de igual modo nestas mesmas datas reconhecidas por ser sagradas, e em princípio não há assim, tanta diferença, onde está escondida a vertente religiosa desse contexto? Será que somos todos religiosos? Ou será que vamos indo remando com a maré e curtindo cada correnteza que nos impulsione para qualquer destino?  Vamos deixar as questões sem respostas? Quem sabe um dia tudo isso passe. E nossos feriados sejam para celebrar nossas vidas menos estressadas, nossos empregos melhores, nossas amizades, enfim, quem sabe, celebrar a religiosidade humana com o humano como centro de tudo isso sem dever explicações aos céus. Aproveitando para não comer carne na Sexta-Feira. Vamos pescar?

RECORTES DA POLÍTICA tupiniguim

               Começamos por casa, Parnamirim, 2017, o mês é Abril e o dia é nove. Morre o filho da vereadora Kátia Pires. Um jovem desconhecido que sofreu um acidente no trânsito. O prefeito e várias autoridades prestaram sua solidariedade por meio das redes sociais. O também senhor Taveira, prefeito, disse essa semana que seria construído uma base de operações do corpo de bombeiros deve ser instalada em nossa cidade. O posto da polícia no bairro da coabinal foi alvo de tiros nesta noite de Domingo, mas não escutei nada daqui. Moro perto do posto policial, o boato saiu num jornal de facebook. Deu no Diário Municipal de Natal que foi liberado o pagamentos dos aposentados. Ufa! uma notícia boa. O caso vinha se arrastando na câmara dos vereadores mas essa semana a coisa se resolveu. 
              No Brasil, a federação se defende como pode, ou seja, defende os empresários e os hiper ricos como bem quer e entende, a população, indefesa, diante de tantos golpes de facada e de facão, sofre as perdas salariais, o próximo aumento estipulado para o mínimo de 2018 é de 979,00. Hoje ele vale 937,00. Imaginem isso. Bem, seguido a isso temos uma parte da população que quer o Temer fora da cena política. 
                                “recessão e desemprego derrubam inflação e devolvem poder de compra" realmente, podem ter devolvido o poder de compra aos mais ricos. No mais é pedir pra não adoecer, não perder o emprego ou a renda seja qual for, não deixar de gozar, ter comida e água em casa, e um teto pra se abrigar. O resto é conspiração das teorias por aí. Valeu. Obrigado por não ler essa merda e me deixar no vácuo.
Hoje uma repórter do globo news disse que a "

ACORDAR ABUSADO

Uso imoderado do poder, segundo o google. É uma definição que ao meu ver não representa a chatice expressada nas correntes sanguíneas da vida. Assim, talvez e bem provável, que este texto seja mesmo um porre. Você não merece ler algo assim, mude essa merda. Vá procurar um blog de auto ajuda e encontre as palavras certas que estimularam seus neurônios e lhe farão sentir-se bem. O melhor remédio para combater um abuso crônico é manter o abuso sob a mira dos conceitos. Estes nem sempre são eficazes. O corpo reflete estes conceitos como quem demora pra cagar. Fica muito inchado. Chega a feder pelos poros. O mau hálito que sai da boca parece uma fossa aberta. O cú dói, mas não caga. Isso é mesmo um abuso. Mas tem quem diga que abuso pode ser de autoridade. Pode ser outra coisa, menos abuso. Dane-se. A bosta da vida, essa desgraça, permanece ali. A gente precisa passar por isso? Parece que o abuso é uma fobia do espírito. Se eu acreditasse que espírito existe, é claro. Você ainda está comigo? Pois bem, relaxe um pouco e vamos tentar entender essa mandinga dos infernos. O primeiro conceito trata de um tipo de abuso, o abuso de poder, esse deve se referir ao caricatura do chefe, do pai, do padre, do político, do irmão mais velho, do professor, de deus, verdadeiros abusadores de poder. Talvez essa prática sirva para preencher o saco que é viver. Você impõe seus desejos e os outros inconscientemente e voluntariamente resolvem obedecer. Triste aqui é saber que o obedecer é voluntário. Ou involuntário. Ordens são sempre arbitrárias. A segunda bosta e é essa que eu quero melhorar o conceito trata-se de um sentimento. Nada parece ir bem. O mundo é uma bosta. As vezes fede. Nem a garota mais deliciosa da escola te faz mudar. A vontade que se tem é de se isolar do mundo, das pessoas, dos barulhos, das cores, dos cheiros, emfim, dos corredores da vida. Esse sentimento que eu classifico como abuso de tudo, merece ser mesmo pensado. Abuso tem origem no  Latim ABUTI, “usar mal”, de AB-, “fora”, mais UTI, “usar”. Mas no senso comum, no dia a dia das pessoas comuns, o abuso se transformou em sentimento. A pessoa que vive abusada. O abusado de sentimento não caga. Nem peida. Talvez peide, mas com certeza esse peido não fede. É um chato. Não faz piada. Não come ninguém. Não bebe nem fuma. Ainda se diz religioso, na maioria das vezes é um crente fanático. Mas ainda não sei ao certo quem fodeu com essa merda toda. Vou me despedir agora. Deu uma pontada no pé da barriga. Acho que vou cagar. Inté.