domingo, 7 de agosto de 2011

OPERÁRIO DE JARDIM


OPERÁRIO DE JARDIM

Uma flor bela e encantadora, em um lindo jardim, me pediu que a regasse.

Deixei minha bata cair na lama para que ensopasse. Corri, corri feito um louco, corri... E bem perto Dela, daquela flor que se fazia sozinha, espremi bem minha bata... Com seu olhar de agradecida
Ela me ofereceu um beijo e ao encostar seus lábios em meu corpo, um espinho me feriu o rosto. Envenenado, fui a correr dali, eu queria me jogar de um precipício, sei lá, seria a saída?... Aquilo doía, doía. A flor que ajudei, me disse de longe assim:_ “Com o veneno que pus em ti darás muitas flores iguais a mim...A mim”. E escureceu o mundo. Sem sentir que acordei me fiz jasmim. E ao seu lado acordei. Ela olhou pra mim... Uma lágrima rolou. Lado a lado, estendemos as mãos e nunca mais fui beijado...

Josemir

Um comentário:

Deisinha disse...

Adorei esse texto...Uma profundidade...sentimentos e emoções por toda parte... Parabéns!!!
Deise