domingo, 17 de agosto de 2014

AOS POUCOS A IMAGEM DE UMA VIDA CEDE LUGAR AS LEMBRANÇAS... e as devidas homenagens...

EDUARDO CAMPOS - MORTO EM ACIDENTE AÉREO.
As imagens de uma vida tornam-na  próximas da realidade e as lembranças nos dão duas certezas: Rever um dia; quando teremos a certeza de que aquela pessoa retornará em breve. Ou nunca mais; quando a morte é a guilhotina que dilacera um futuro de suas expectativas.. Estamos propícios a qualquer momento sermos surpreendidos pelo desconforto dos acidentes que vitimam nossos próximos ou a nós mesmos. Jamais ultrapassaremos este limite. O homem transfere para a religião sua utopia em uma vida pós morte, mas nunca ficou claro que esta exista.  O que nos torna limitados e frágeis. A vida é uma sequência de momentos finais. Este pode ser o último instante que nos percebemos existindo e logo em seguida pode não haver mais. O fim da vida é amparado por teorias das mais variadas e não cabe no contexto dessa conversa entrar nessa retórica, em fim, o que nos acontece quando nos deparamos com a despedida e suas consequências é absolutamente relativo para todos e qualquer um. Nunca seremos, pelo menos nessa época, e pelos conhecimentos da ciência, capazes de interferir na partida da vida. O que nos resta? As imagens em fotos e as lembranças do que foi um dia alguém. Não se condene por não conseguir salvar seu ente querido da morte, ou mesmo a sua namorada, o seu cão, ou mesmo um peixe ornamental, mas homenageie sempre essa pessoa, este animal, o que for, e siga a vida sem a confusão das culpas ou das histórias inconclusas.

Nenhum comentário: